“Quando idealizei o projeto do site, na verdade, tudo começou com um trabalho tímido, minha ideia principal, era deixar disponível na rede, as soluções pra problemas que só precisam de boa vontade, uma boa idéia e investimento das autoridades para serem resolvidos. As pessoas faziam seus projetos com um roteiro disponível para download, encaminhavam pra gente e deixáva-mos disponível para download. Tudo isso cresceu e tomou forma muito rápido. Com um mês e meio no ar, já tínhamos mais de 22 mil cadastros, que eram enviados por diferentes canais, e-mails, site, redes sociais e todo tipo de canal que chegasse a mim. Percebi que o trabalho não podia parar e que tudo tomaria uma forma bem maior do que havia imaginado.

Formava-se ali a primeira grande rede internauta de responsabilidade social do Brasil. Hoje, somos mais de 2 milhões cadastrados apenas no Rio de Janeiro e esse número tem crescido por todo país. Além disso, contamos com um grande fluxo de acessos por pessoas de vários seguimentos, com intuito de encontrar soluções, discutir problemas cotidianos, contribuir com projetos e muito mais. Todo mundo percebeu que é capaz de ser uma célula ativa na construção de um mundo melhor e de uma sociedade mais justa, e na verdade fico muito feliz em ter contribuído com tudo isso.

Com a visibilidade que ganhamos a cada dia, o projeto só tende a crescer e o que iniciou como um site, hoje é um portal que agrega profissionais, estudantes, adolescentes, universitários, aposentados, todo tipo de gente com a finalidade de ajudar.

Essa vitória e reconhecimento é de todos nós. Assim, gostaria de agradecer todo o carinho. Isso com toda certeza é a resposta de que nosso trabalho não pode parar e que ainda há muito por ser feito.

Muitas pessoas me perguntam se isso tudo vale realmente a pena. Eu gosto de lembrar do exemplo de uma senhora, que me segurou pelo braço quando eu atravessava a rua, no meio da correria do dia. Eu me assustei e olhei abruptamente. Ela me olhou no fundo do olho e disse: “-Obrigado por fazer o que você faz. Não pare!”. Eu nem sei explicar o que senti. A verdade é que de certa forma tudo isso começou por uma questão de ideologia, de militância. Hoje eu não me vejo fazendo outra coisa. Sei que é preciso muito mais e estou disposto a seguir em frente, mesmo adotando jornadas exaustivas de trabalho, (entre meu trabalho que me dá a estabilidade pra realizar tudo o que faço) e a atuação em projetos e pesquisas sociais, que aliás, realizo filantropicamente e sempre financiei com recursos próprios por todos esses anos.

Não acho normal assistir um filme em casa, sabendo que enquanto estou jantando, uma criança se prostitui nas ruas pra comer, usa “crack” ou se arremessa em meio a vulnerabilidade das ruas. Sem demagogia, não sou assim e não consigo ser diferente. Cansei de depositar as expectativas da resolução dos nossos problemas apenas no poder governamental. Decidi descruzar os braços e ir adiante, me envolver, ajudar, nem que seja por uma hora do meu dia.

Agradeço a todos pelo carinho, pelo respeito e mais uma vez, obrigado! JUNTOS PODEMOS QUALQUER COISA!”

Flávio Duncan, idealizador do Pescador de Ideias
Conheça mais sobre Flávio

Pescador de Ideias
Missão

“Contribuir na criação de condições e oportunidades que possibilitem o desenvolvimento sócial e humano, dando perspectivas de crescimento a pessoas em vulnerabilidade, gerando transformação social.”

Visão
“Realizar um trabalho sério e responsável, buscando e levando oportunidade e soluções, possibilitando que qualquer pessoa possa ser um cidadãos ético, íntegro, realizado e moralmente correto.”

Valores
“Ética, transparência, responsabilidade, integridade, comprometimento, respeito à diversidade, autonomia, empoderamento e solidariedade.”